23 de abr de 2007

Segunda - Meditando

I Timoteo 3:

Bom dia gente! Tenho certeza que na vida ai de cada um de vocês, há metas a alcançar não? Seja um reconhecimento no trabalho, um salário melhor, uma família, um lugar para morar, talvez até, que as pessoas sintam sua falta hehehe. E a gente sabe que se é assim no nosso dia-a-dia com as coisas mais simples, imaginem como deve ser com nossa vida cristã.

Sei que escrevo aqui para pessoas maduras em sua maioria, mas que não estão alheias à queda. Muito pelo contrario, deveriam cuidar mais ainda para não cair nas ciladas que nossa mente “madura” propõe, não é mesmo? Sei que vocês entendem do que estou falando; Sim, das nossas desculpas e preguiças que derrubam nossa vida espiritual e nos fazem perder o foco, o alvo, as metas!

Ao ler este capitulo da carta, lembrei de quando comecei minha carreira cristã. Lembrei que havia pessoas a minha volta que eram (e algumas ainda são), excelentes! - sim, gosto dessa palavras, dos princípios que ela traz e luto para não perder o gosto por buscar o que é melhor – mas voltando a minha historia, eu não gostava muito de ser ‘carregado nas costas” pelos outros não. Espiritualmente, observava alguns sempre carregando, sempre sendo a fonte de apoio de outros e não queria ser assim...eu queria ser melhor. Mais constante no acerto, na fé, no amor a Deus e aos outros, na vida sabe? “Samir, seja EXCELENTE para Deus, lute!”, eu me cobrava.

Talvez você seja mulher ou não tenha pretensão por ser um presbítero, diácono e logo de cara já olhou pro capitulo e pensou: Não é pra mim essa mensagem.Não, não, não. Ela pode ser pra você também a partir do momento que você queira ser, excelente! Paulo passa a descrever características de um ser responsável, maduro na fé e que deve ser, um EXEMPLO, e não há porque rasgar a pagina da Bíblia ou pular o capitulo. Olha só:

“Irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;

Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia; Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo.

Honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância; Guardando o mistério da fé numa consciência pura.

Sim, são características de grandes homens, e eu pergunto: Por que não desejá-las? Por que não buscar a melhora espiritual? Gente, tenho as vezes saudade de mim, mais puro e mais corajoso e vejo que essa iniciativa geral é um sinal de que ainda posso alcançar ou ajustar o que estava embaçado pela poeira, a ocupação das atividades terrenas fúteis.

Obrigado por orarem por mim, orarem uns pelos outros. Tenho certeza que se deixarmos de nivelar por baixo nossa vida espiritual, como muitos tem feito, poderemos alcançar maturidade e solidez, detectando o pecado a distancia e sendo agradáveis a Deus.

- leitura, oração, força e coragem -

Samir.