28 de dez de 2010

Valeu 2010!

2010 foi ano de crescimento e progresso como poucos anos; um ano desafiador nas aulas da EBD com a mocidade, trabalho novo nessa mesma mocidade com nova diretoria, projetos, Cyro e Ediano vieram pra ajudar e também tivemos o contato com Michel e Marcela - Lançamento do cd deles; Novas amizades como Andy e Mirian; voltei a estudar (ueba!!!) mas foi uma loucura - EAD Teologia pelo Mackenzie; o contato com cristãos de outros países fortaleceram a fé - não estou só nessa batalha; Mark, Piper - excelente! 

E o que mais me alegrou ao fim desse ano foi ver as ações que alcançamos fora das quatro paredes da igreja; cantamos no shopping Butantã, trabalho social em azilo, fomos a uma escola com apresentação de teatro, palestras, música, levamos alimento, roupas para presídios e continuamos aprendendo da Palavra da Verdade. Isso é um grande progresso; não somente a teoria e ideais mas ver também a igreja agir na sociedade. 

Também conheci amigos pessoalmente - galera da Lista Insana (SPFC) - uma lista que tem por debate principal o nosso time - São Paulo F.C., mas que serve pra debater tudo - religião, sociedade, política, economia, comportamento, tudo; tudo mesmo, pode apostar. 

Enfim, muito progresso.
Que 2011 seja mais intenso ainda;

Cyro e Talita (Judah) conosco...


Trabalho Social - Teatro, palestra e música

Coral Betel
 

Teatro - Foi demais...


Nunca mais serão os mesmos...

Talento, dons - Michel e Marcela

Progresso - Ediano

Trabalho infantil

Liberdade Camps - 2010

Insanos SPFC na Pré-Estréia de Soberano

Andy Pereira hehehe

Rafa e Montanha na Turkoland; TRIHEXA


27 de dez de 2010

10.000.000 de planos

John Piper estava certo. Numa situação da vida conseguimos enxergar 1, 2 ou no máximo 10 objetivos que Deus está tratando quando nos faz passar por aquilo. É pouco diante dos 10.000.000 de objetivos que Ele trata, muito pouco. 

Como bem disse Isaías:

Quem guiou o Espírito do SENHOR? Ou, como seu conselheiro, o ensinou? Com quem tomou ele conselho, para que lhe desse compreensão? Quem o instruiu na vereda do juízo, e lhe ensinou sabedoria, e lhe mostrou o caminho de entendimento?
Isaías 40.13-14

Aprendendo a confiar todos os dias; Minha alma descansa em Tuas mãos, meu Senhor. 

24 de dez de 2010

O Natal e o Deus Presente.

Hoje, quando abrimos os presentes, almoçarmos ou jantarmos com família ou amigos, o que não pode de fato sair da nossa mente é que Deus é presente e atuante na vida da humanidade.


Não tomarei a visão ofuscada que existe hoje para comemorar o natal sem esse conceito e falo com Deus sobre esse momento com meu coração cheio de gratidão. Tudo porque ao comemorar o aniversário de Jesus eu vejo que o mais presenteado foi aquele que Nele crê: eu.

Porque Jesus é a maior prova de Deus atuando na vida do ser humano; a bíblia chama Jesus de Emanuel que quer dizer: Deus conosco. 

Is 7:14 Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel.

Mt 1:23 "A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel" que significa "Deus conosco".

Portanto, se suas expectativas a respeito do natal estão apenas em ganhar ou dar presentes e estar presente na vida de alguém, ajuste o foco. O Natal celebra um dos momentos mais impactantes da história da humanidade porque é o momento em que Deus diz: 

Sou presente em sua vida.

Percebam então como é uma data cheia de grande significado. A presença, conhecimento de Deus sempre foi e ainda é, a busca e desejo até hoje de quase que toda a humanidade ainda que inconscientemente. Todos buscam Deus ou tem alguma concepção sobre essa relação - Deus X Homens. 

Nós cristãos olhamos então para esse momento e levantamos as mãos para o céu dizendo: Obrigado! Deus obrigado por vir até nós e abrir nossa mente, tirar as escamas dos olhos e cravar na nossa história a tua presença; isso é um grande presente, o maior de todos. Isso é GRAÇA. 

Portanto minha alegria neste dia é lembrar que Deus está comigo e este presente faz todo significado e razão para minha vida, é a maior marca da minha vida: Jesus. 

O presente que eu quero para você?
Jesus. 
Porque crer em Jesus é entender, viver, mergulhar e deleitar-se no Deus presente.

Feliz Natal, com certeza. 

22 de dez de 2010

Fortalecei-vos: Dores da maternidade I

As palavras abaixo são da Norma Braga . Uma irmã que tem edificado a vida de muitos (a minha, inclusive) e passa por um momento particularmente difícil da vida. O texto é para aprendermos, orarmos e nos animarmos em nossas lutas, que talvez não sejam tão pesadas quanto imaginamos ao olharmos as lutas de outros irmãos. Deus fortaleça a sua vida, irmão e amigo:


Dores da Maternidade I
Logo no início da gravidez, detectei um sangramento. A médica acusou uma ameaça de aborto espontâneo, recomendando duas doses diárias de hormônio e repouso absoluto — ou seja, cama, cama, cama. Obediente, por mais desconfortável que me sentisse, eu não me sentava nem para comer. Recebemos visitas, os irmãos oraram, amigos e família ligavam preocupados. Foi difícil viver cada dia sabendo que podíamos perder o bebê, mas seguimos confiantes em Deus. O sangramento passou.
Agora, em repouso moderado, com 14 semanas e meia de gravidez, recebo mais uma notícia ruim, desta vez bem ruim: um “edema generalizado” em meu bebê, ou seja, uma hidropsia fetal, doença de altíssima mortalidade e às vezes nenhuma causa detectável. Na internet, encontrei grupos de apoio em que há algumas histórias com finais felizes — os bebês que sobrevivem são considerados “milagres”.
Depois do diagnóstico, fomos à médica obstetra e, descartadas outras causas (contaminação por vírus e conflitos entre meu Rh e o do bebê), sobram defeitos congênitos ou algum tipo de cardiopatia. Por enquanto, nada podemos fazer: o feto precisa ficar mais maduro, pelo menos 16 semanas, para ser examinado novamente. Até lá, o óbito é uma possibilidade nem um pouco remota. O impressionante é a raridade do fenômeno: hidropsia fetal por tais causas acomete um em seis mil bebês!
Diante de tais notícias, o que fazer? A médica comentou conosco que a maioria dos pais, escorados em uma aterradora impotência, costumam decidir incontinenti pela interrupção da gravidez. Sabendo que somos cristãos, no entanto, ela já intuía nossa negativa ao procedimento, e se viu tranquilizada ao confirmar nossa decisão final: aguardaríamos os fatos e confiaríamos em Deus. E nisso nós O glorificamos porque, praticamente “sem querer” — sem intenção deliberada —, demos a ela um poderoso testemunho, por causa do que Ele já realizou em nós.
Saindo do consultório, André e eu conversamos sobre o absurdo raciocínio que subjaz à decisão do aborto nesses casos: se o feto está doente, a solução é matá-lo de uma vez? Por que optar por medida tão drástica, se tudo pode acontecer  inclusive a remissão espontânea dos sintomas, sem qualquer explicação? Imagino que, nesses momentos, ocorre algo bastante humano, pecaminosamente humano: se nos sentimos impotentes, melhor controlar alguma coisa, ainda que seja a morte. No final, para consternação e culpa gerais, muitas vezes se descobre que o aborto não era necessário, já que o bebê, ao ser retirado à força do ventre, surge saudável, contra todos os prognósticos. Mas somente o cristão, se de fato desistiu de tentar controlar o rumo dos acontecimentos e se entregou ao Criador e Sustentador de toda vida, pode chegar a tais conclusões.
E no meio da tormenta acontece aquela coisa inusitada que apenas os cristãos podem experimentar: eu e André percebemos com alegria que a fé que Deus nos deu e aprimorou ao longo dos anos nos impede resolutamente que hoje nos torturemos com a clássica e destrutiva pergunta: “Por que nós, Senhor?” Afinal, Jesus lança luzes sobre o sofrimento não respondendo à pergunta “por quê?”, mas sim “para quê”: “para que se manifestem [em quem sofre] as obras de Deus” (João 9.3). E, ainda que nosso bebê não seja curado, sabemos que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8.28). Há propósito no sofrimento, e seu fim é sempre duplo: glorificar a Deus e nos abençoar. Como firmar-se nessa certeza? Não pela força de vontade: tal compreensão não é humana, mas sim um fruto exclusivo de Sua graça.
Que nesse final de ano, leitor, esse seja meu desejo de Natal a você: que contra todas as expectativas negativas, todas as estatísticas e todos os maus prognósticos, você possa colocar sua confiança inteiramente em Deus, dando toda a glória “Àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós” (Efésios 3.20). Amém!

20 de dez de 2010

Estilo De Vida Em Guerra | John Piper

Sem dúvidas vivemos uma vida de guerra; são pressões de todos os lados e nosso coração se perde facilmente.

Oro para que meus pensamentos, desejos, ideais de vida se encontrem na vontade de Deus; deleitar minha alma na vontade Dele;


17 de dez de 2010

Os Cristãos Deveriam Celebrar o Natal? - John Piper

17.12.10 | Postado por: Yago Martins


Eu compreendo aqueles que querem ser rigorosamente e distintamente Cristãos. Que querem ser libertos do mundo e qualquer raiz pagã que possa repousar sob nossa celebração do Natal, mas não me posiciono da mesma maneira nesta questão porque penso que chega um ponto onde as raízes já estão distantes de tal forma que o significado presente não carrega mais nenhuma conotação pagã. Fico mais preocupado com um novo paganismo que se sobreponha a feriados cristãos.

Eis um exemplo que eu uso: Todo idioma tem raízes em algum lugar. A maioria dos nossos dias da semana [em inglês] —se não todos— saíram de nomes pagãos também. Então deveríamos parar de usar a palavra “Sunday” (domingo) porque ela pode ter estado relacionada à adoração ao sol em um tempo distante? No inglês moderno, “Sunday” (domingo) não carrega aquela conotação, e é a própria natureza do idioma. De certa forma, os feriados são como a linguagem cronológica.

O Natal agora significa que marcamos, no meio cristão, o nascimento de Jesus Cristo. Nós achamos que o nascimento, a morte e a ressurreição de Cristo são os eventos mais importantes na história humana. Não marcá-los de alguma forma, através de uma celebração especial, me parece que seria insensatez.

Eu lembro de ter sido vizinho de um casal nos tempos de seminário que não celebrava os aniversários de seu filho. A ideia era, em parte, que todos os dias eram especiais para o menino. Mas se todos os dias são especiais, então provavelmente significa que não há dias especiais. Contudo, algumas coisas são tão boas e preciosas — como aniversários e até mesmo mortes — que são dignas de serem marcadas. Quão mais o nascimento e a morte de Jesus Cristo!

Realmente vale o risco, mesmo que a data de 25 de Dezembro tenha sido escolhida por causa de sua proximidade com algum tipo de festival pagão. Vamos apenas tomá-la, santificá-la e fazer o melhor com ela, porque Cristo é digno de ser celebrado em seu nascimento.

Não há motivo para escolher outra data. Não vai funcionar.

Por John Piper. © Desiring God. Website:desiringGod.org
Tradução: voltemosaoevangelho.com
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


16 de dez de 2010

São Paulo Hexacampeão Brasileiro - Hino Globo 07.12.2008 - Orquestra

Parabéns TRICOLOR!!! Aqui é SPFC, o maior clube brasileiro!
22 Campeão Paulista
06 Campeão Brasileiro - TRIHEXA!
03 Campeão Libertadores da América
03 Campeão do Mundo;

Porque esse cristão aqui é muito feliz também esportivamente ok!?

6 de dez de 2010

Christmas Food Court Flash Mob, Hallelujah Chorus - Must See!

Música universal; até eu cantei aqui no meu português. É uma prévia do céu: povo de toda tribo, língua e nação; ALELUIA!!!! Jesus é o significado do Natal, o Senhor Onipontente que reina e reinará para sempre.

Rei dos reis e grande Senhor!!


1 de dez de 2010

John Piper - Ternura de aço

"Ah, quão raros são os cristãos que falam com um coração terno e têm uma coluna vertebral teológica de aço." (John Piper)