26 de mar de 2008

Mateus 15:21-28 - Fé e agradecimento



21 E, partindo Jesus dali, foi para as partes de Tiro e de Sidom.

22 E eis que uma mulher cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada.

23 Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe, dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós.

24 E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.

25 Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me!

26 Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-lo aos cachorrinhos.

27 E ela disse: Sim, SENHOR, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.

28 Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.

Quando leio essa passagem sempre lembro do inicio da minha vida na igreja mais seriamente. Lembro dos estímulos de fé que dávamos uns aos outros, força nas lutas diárias daqueles jovens sonhadores que caminhavam na igreja. Ah, aqueles jovens cheios de vigor e sonhos! Buscavam um trabalho, uma carreira, buscavam alguém pra namorar, amigos chegados e graças a Deus, na nossa vida posso dizer que esses jovens também buscavam uma vida cristã melhor.

Assim sendo, a fé era algo muito debatido naquela época pra mim. Sim, porque na juventude eu tinha que ter fé para vencer todas as dificuldades de um jovem que almejava ser um instrumento melhor nas mãos de Deus. Vocês lembram das barreiras de antigamente? Eu tinha dificuldades para ser melhor com meus amigos da escola, melhor em casa com meus pais e irmãos, tive que abandonar uma faculdade porque o curso não era bem aquilo que eu imaginava, queria namorar mais era tudo sempre mais difícil por conta das minhas convicções, tinha discussões com alguns amigos próximos que duravam um tempão pra sarar, via pessoas chegarem e saírem da igreja levando um pouco da minha história para outro canto do país, além de cobrar muito de mim mesmo para não errar em nada!

Ora, mas por que lembrar de fases da vida assim? Pra lembrar da fé que eu precisei buscar para negar a mim mesmo e tirar da minha consciência que não estava em minhas mãos a decisão certa para tudo o que eu imaginava. Eu precisei de fé para largar uma faculdade e deixar que o Senhor cuidasse daquela minha tristeza comigo mesmo (como disse, eu abomino o erro, e era o que mais via em mim). Eu precisei de fé para entregar de uma vez por todas ao Senhor meu coração, meus sentimentos e dizer com todas as palavras: “Senhor, eis aqui a minha vida, eu não consigo por mim mesmo e desejo ser teu por completo em tudo! Desejo viver o que o Senhor quer para mim, porque as minhas escolhas teimosas machucam meu ser demais! Chega de tentar por mim mesmo...”

Estou a dias do meu casamento e é natural (e bom) trazer a memória momentos especiais – momentos cruciais. Então lembro deste dia tão significante para mim, o dia em que eu clamei pelo Senhor como um desesperado pedindo para que ele olhasse para esse teimoso com misericórdia e que ao menos pudesse desfrutar das migalhas, mas Ele me fez assentar à mesa...

Não tenho palavras para agradecer Senhor. Todas as bênçãos até aqui foram abundantes! As amizades que até hoje perduram, as que estão se construindo, os sonhos que continuam a existir com novas perspectivas, as misericórdias, a Tua presença cuidando de mim. Obrigado Senhor por ser o Deus que cuida dos seus filhos com aquilo que seus olhos por ventura nem imaginam. Obrigado Senhor pela minha família, por eles me ensinarem a ser um homem que tem na Tua Palavra a fonte para todas as coisas, obrigado Senhor pelas nossas diferenças porque elas melhoraram meu ser, me ensinam nas minhas deficiências. Obrigado por tua igreja e o carinho que tem dispensado a mim nesses anos todos; aos que foram meus professores, lideres e companheiros em lágrimas, sorrisos e gargalhadas. Ainda há mais a agradecer, mas terei outras oportunidades e um espaço só pra isso.

“Quero mais e mais te obedecer, quero aprender a confiar, somente confiar em Ti. Viver da fé para Teu prazer.”

14 de jan de 2008

É notícia:

Justiça quer respostas de Kaká por relação com igreja

Eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa na temporada de 2007, o apoiador Kaká, do Milan e da Seleção, foi intimado, há quatro meses, pelo juiz da 1ª Vara Criminal de São Paulo, Marcelo Batlouni Mendroni, a prestar esclarecimentos sobre a sua relação com a Igreja Renascer em Cristo e seus fundadores, Estevam e Sônia Hernandes. Mas até agora ele não deu resposta à Justiça.

A informação foi publicada na edição desta semana da revista Carta Capital, que também revelou que o dízimo anual pago pelo jogador à Renascer passa de R$ 2 milhões.

O casal de bispos Estevam Hernandes Filho e Sônia Haddad Moraes Hernandes, 'donos' da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, que possui residência em Miami e outros bens nos EUA, responde a processos por evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

A prisão e condenação de ambos ocorreu porque eles desembarcaram na Flórida com US$ 56 mil, em dinheiro vivo, mas somente declararam US$ 10 mil (quantia máxima permitida) às autoridades alfandegárias dos Estados Unidos.

O craque brasileiro demonstra publicamente a sua devoção pela igreja evangélica. Kaká usa uma pulseira grafada com a palavra Jesus. Na ¿língua¿ de sua chuteira, pediu que gravassem 'Deus é Fiel'. A cada gol marcado, o ex-jogador do São Paulo levanta as mãos em direção ao Céu. Kaká é uma das figuras de grande destaque da Renascer, na qual se casou e para a qual cedeu o troféu ganho da Fifa. E já declarou que, ao encerrar a carreira, pretende se tornar pastor.

O objetivo da Justiça brasileira é esclarecer a relação entre o jogador e o casal Hernandes, envolvidos em operações financeiras que não teriam sido declaradas às autoridades brasileiras. Respodem a vários processos no País. Possíveis crimes - como lavagem de dinheiro e outras atividades ilegais - são investigados pelo juiz Marcelo Mendroni, informa a revista Carta Capital.

Com base no interrogatório enviado a Milão, segundo a reportagem, Kaká pode ser considerado mais uma vítima-testemunha. De acordo com o jornal italiano La Gazetta dello Sport, Kaká ganha 17 mil euros (cerca de 45 mil reais) por dia, o que anualmente chegaria a R$ 16 milhões por ano, sem levar em conta as premiações e cotas de patrocínio recebida pelo craque da Seleção.

É com base nessas contas que Kaká repassaria à Renascer mais de R$ 2 milhões por ano. E, segundo Mendroni, durante anos os dízimos da igreja foram desviados pelo casal Hernandes, que possui um patrimônio estimado em cerca de R$ 130 milhões.

"Qual é seu grau de amizade e que relação tem com as pessoas acusadas? Os acusados costumam freqüentar a sua casa na Itália ou no Brasil? O senhor freqüenta a casa deles no Brasil ou nos Estados Unidos? Você sabe o destino que foi e que é dado ao dinheiro das suas colaborações?". Essas são algumas das perguntas que Kaká - que em entrevista ao Ataque disse que continuará fiel à Renascer - terá que responder à Justiça, segundo a Carta Capital.

Crise religiosa
Além das perguntas encaminhadas pela Justiça brasileira, outro fato vem incomodando o jogador, ainda de acordo com a revista. A opção religiosa do genro sempre foi mal vista pela mãe de Caroline (mulher de Kaká), Rosangela Lyra, uma católica fervorosa e integrante da Renovação Carismática.

O Dia