14 de jan de 2008

É notícia:

Justiça quer respostas de Kaká por relação com igreja

Eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa na temporada de 2007, o apoiador Kaká, do Milan e da Seleção, foi intimado, há quatro meses, pelo juiz da 1ª Vara Criminal de São Paulo, Marcelo Batlouni Mendroni, a prestar esclarecimentos sobre a sua relação com a Igreja Renascer em Cristo e seus fundadores, Estevam e Sônia Hernandes. Mas até agora ele não deu resposta à Justiça.

A informação foi publicada na edição desta semana da revista Carta Capital, que também revelou que o dízimo anual pago pelo jogador à Renascer passa de R$ 2 milhões.

O casal de bispos Estevam Hernandes Filho e Sônia Haddad Moraes Hernandes, 'donos' da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, que possui residência em Miami e outros bens nos EUA, responde a processos por evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

A prisão e condenação de ambos ocorreu porque eles desembarcaram na Flórida com US$ 56 mil, em dinheiro vivo, mas somente declararam US$ 10 mil (quantia máxima permitida) às autoridades alfandegárias dos Estados Unidos.

O craque brasileiro demonstra publicamente a sua devoção pela igreja evangélica. Kaká usa uma pulseira grafada com a palavra Jesus. Na ¿língua¿ de sua chuteira, pediu que gravassem 'Deus é Fiel'. A cada gol marcado, o ex-jogador do São Paulo levanta as mãos em direção ao Céu. Kaká é uma das figuras de grande destaque da Renascer, na qual se casou e para a qual cedeu o troféu ganho da Fifa. E já declarou que, ao encerrar a carreira, pretende se tornar pastor.

O objetivo da Justiça brasileira é esclarecer a relação entre o jogador e o casal Hernandes, envolvidos em operações financeiras que não teriam sido declaradas às autoridades brasileiras. Respodem a vários processos no País. Possíveis crimes - como lavagem de dinheiro e outras atividades ilegais - são investigados pelo juiz Marcelo Mendroni, informa a revista Carta Capital.

Com base no interrogatório enviado a Milão, segundo a reportagem, Kaká pode ser considerado mais uma vítima-testemunha. De acordo com o jornal italiano La Gazetta dello Sport, Kaká ganha 17 mil euros (cerca de 45 mil reais) por dia, o que anualmente chegaria a R$ 16 milhões por ano, sem levar em conta as premiações e cotas de patrocínio recebida pelo craque da Seleção.

É com base nessas contas que Kaká repassaria à Renascer mais de R$ 2 milhões por ano. E, segundo Mendroni, durante anos os dízimos da igreja foram desviados pelo casal Hernandes, que possui um patrimônio estimado em cerca de R$ 130 milhões.

"Qual é seu grau de amizade e que relação tem com as pessoas acusadas? Os acusados costumam freqüentar a sua casa na Itália ou no Brasil? O senhor freqüenta a casa deles no Brasil ou nos Estados Unidos? Você sabe o destino que foi e que é dado ao dinheiro das suas colaborações?". Essas são algumas das perguntas que Kaká - que em entrevista ao Ataque disse que continuará fiel à Renascer - terá que responder à Justiça, segundo a Carta Capital.

Crise religiosa
Além das perguntas encaminhadas pela Justiça brasileira, outro fato vem incomodando o jogador, ainda de acordo com a revista. A opção religiosa do genro sempre foi mal vista pela mãe de Caroline (mulher de Kaká), Rosangela Lyra, uma católica fervorosa e integrante da Renovação Carismática.

O Dia

Nenhum comentário: