12 de ago de 2009

Filhos e a felicidade

Primeiro dia dos pais vivido na condição de pai. Momento muito feliz na minha vida e claro, pensei em diversas coisas sobre os significados desse momento: responsabilidades, alegrias, lutas, mansidão, fé, amor... Lembrei do Salmo 128 também:

Salmos 128 1 ¶ [cântico dos degraus] Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos. 2 Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem. 3 A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa. 4 Eis que assim será abençoado o homem que teme ao SENHOR. 5 O SENHOR te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida. 6 E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel.

Na nova versão internacional o salmo se inicia: Como é feliz o homem que teme ao Senhor... Essas eram as palavras do meu domingo de dia dos pais com mais significância e têm sido as palavras no meu coração quando olho minha vida, minha família e tudo o que me cerca. Observar a vida sob minha responsabilidade, meu filhote eu lembrei também dos tesouros valorizados na palavra de Deus e desprezados e sufocados pelos nossos dias; observe como é relatado no salmo a alegria desse homem que teme ao Senhor:

1. Comer do fruto do trabalho.

2. A esposa como videira frutífera.

3. Filhos como fruto da oliveira.


Amigos leitores não vou aqui explanar sobre todos os tópicos do salmo mas não poderia deixar de registrar que hoje entendo muito melhor essas palavras. Não deixo de agradecer por meu filhote e entendo a alegria apontada pelo salmista, o prêmio de se ter trabalho e família são bênçãos sem medida para os que amam e temem ao Senhor e para encerrar esse pequeno relato do meu primeiro dia dos pais como papai, um fato que muito me ensinou e verídico:


Certa vez estava atendendo um cliente com meu pai. Papo vai, vem, acertos de orçamentos e no fim da conversa meu pai, já cheio de liberdades, soltou:
"O sr. parece com o Antonio Ermírio de Moraes"

Gargalhadas por todos os lados e o cliente finaliza nossa conversa:

"Sou mais rico que ele, tenho 5 filhos"
.

Mais risadas, ele se foi e dentro de mim um conceito formado: Meus filhos são meu tesouro...são a minha herança como diz outro salmo...são minha riqueza. Que nossos conceitos de riqueza não se sufoquem pelas pressões da sociedade.

Obrigado meu Deus, meu Senhor. Amo minha esposa e meu filho.

Papai Samir.

4 de ago de 2009

Meu Deus brevemente descrito - 2 - Soberania

Continuando a exposição sobre o texto de Kyle Baker, chegamos à soberania de Deus. Bom e simples texto para nossa edificação.
Enjoy!

Nem é preciso dizer agora que meu Deus é um Deus soberano. O salmista diz que “nos céus, estabeleceu o SENHOR o seu trono, e o seu reino domina sobre tudo” (Sl. 103:19) e que “no céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada” (Sl. 115:3). Devemos presumir que algo que aconteça não foi tencionado e planejado por Deus? Existe sequer um momento que não foi desejado por Deus? Haveria algum evento fora do perfeito desígnio de Deus para sua criação? Entender a verdade do plano absolutamente abrangente de Deus é confortante para o cristão, mas assustador para o “cristão” apóstata era o incrédulo. O cristão sabe e aprecia que Deus opera todas as coisas para o bem daqueles que ele ama (Rm. 8:28). O não-cristão não tem tal bendita segurança e não pode se regozijar no pleno controle que Deus exerce sobre a criação.

Meu Deus não é um Deus “arruma isso ou aquilo”. Sua criação não frustrou sua vontade, de forma que ele foi obrigado a “ARRUMÁ-LA” com o Senhor Jesus Cristo. Quantos hoje entendem que o Senhor Jesus é um “arrumador” da bagunça feita por Adão? Quantos amaldiçoam estupidamente a Adão, dizendo coisas tais como: “Eu daria uma surra em Adão se o encontrasse hoje!”. Tal retórica mostra que a pessoa desconhece plenamente sua própria natureza depravada. Não somente Adão pecou, mas TODOS nós pecamos e teríamos pecado como ele o fez. Todavia, Deus não enviou nosso Senhor e Salvador para ARRUMAR um engano. De acordo com Pedro, o Senhor Jesus Cristo foi “conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo, porém manifestado no fim dos tempos, por amor de vós” (1Pe. 1:20).

Sabemos que isso significa que Cristo foi PREDESTINADO na eternidade

para realizar a obra que fez em favor dos eleitos. Em Atos dos Apóstolos, Pedro deixa isso claro dizendo que Cristo foi “entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus” (At. 2:23). Ele não diz que o Senhor foi entregue para arrumar o engano de Adão. O Senhor Jesus Cristo é o PRIMEIRO, não um CONSERTADOR.2 O predicamento da queda da criação foi planejada por Deus para exaltar o Senhor Jesus Cristo sobre a cruz! O Senhor não foi exaltado por causa do pecado; antes, o pecado foi planejado para a glorificação do nosso Senhor!