13 de dez de 2007

15 Anos - Campeão do MUNDO!


SÃO PAULO 2 x 1 BARCELONA
Decisão do mundial interclubes de 1992

Tóquio jamais havia visto festa semelhante. Bastou o juiz apanhar a bola dos pés de Cafu e decretar o final do jogo para dezenas de torcedores brasileiros e japoneses, de rostos pintados de preto, vermelho e branco, invadirem o gramado. Pela primeira vez era quebrado o sistema de segurança do estádio Nacional de Tóquio. A partir do apito final, Raí, Müller, Cafu, Toninho Cerezo e cia. deixavam definitivamente de serem meros mortais. Passaram à categoria de deuses da bola e, para sempre, páginas da história não só do clube como do futebol brasileiro e do mundo. Não importou sequer o susto oferecido aos tricolores com o gol de Stoichkov aos 12 minutos. O São-Paulinos partiram para o ataque como feras em busca de seu alimento predileto: o gol. Primeiro com Raí, aos 17 minutos, que enfiou uma bola entre as pernas do meia Bakero e cruzou na medida. Palhinha desperdiçou a chance. Logo a seguir, com os dribles venenosos de Müller que deixaram o zagueiro espanhol tonto antes do passe para Raí que, de peito, empatou a partida. Terminado o primeiro tempo, o São Paulo voltou para segunda etapa com um espírito mais guerreiro ainda. Toninho Cerezo e Ronaldo Luís entraram em campo com antigas contusões e Palhinha com 38 graus de febre, mas nada foi capaz de enfraquecer este espírito guerreiro do time. Mas quem decidiu foi mesmo o craque. Aos 34 minutos, Raí bateu uma falta milimetricamente no ângulo de Zubizarreta. Depois disso, a festa já tomava conta do Estádio Nacional. Com o apito final, as comemorações continuaram. Raí, entoava, com a voz do fundo da alma, um coro que, àquela altura era cantado em todas as ruas do país. "Eu sou São Paulo de coração. Eu sou do clube que é sempre campeão". Agora, mais do que nunca, o mundo inteiro sabe disso.

SÃO PAULO 2 X 1 BARCELONA
13/12/92 - Estádio Nacional (Tóquio)
Juiz: Juan Carlos Losteau (Argentina)
Público: 60.000
Gols: Stoichkov aos 12 e Raí aos 27 do primeiro; e Raí aos 34 do segundo tempo.
SÃO PAULO: Zetti, Vítor, Adílson, Ronaldão e Ronaldo Luís; Pintado, Toninho Cerezo (Dinho) e Raí; Cafu, Müller e Palhinha. Técnico: Telê Santana
BARCELONA: Zubizarreta, Koeman, Ferrer, Euzébio; Amor, Bakero (Goicoechea), Guardiola, Witschge; Michael Laudrup, Stoychkov e Berguiristain (Nadal). Técnico: Johan Cruyjff


Clique aqui para ouvir o gol de falta de Raí, em Real Audio (narração: Osmar Santos).


Nenhum comentário: